Postagens

BBC: a Máquina de Antikythera, o mais antigo computador da História?

Imagem
No início do século 20, catadores de esponjas encontraram na ilha grega de Antikythera (ou Anticítera) um barco romano com preciosas obras de arte, especialmente esculturas de cobre e mármore.

Mas o objeto mais fascinante daquele barco era, segundo uma matéria da BBC, "um instrumento de bronze corroído, do tamanho de um laptop moderno, feito há 2 mil anos, na Grécia antiga. É conhecido como máquina (ou mecanismo) de Anticítera". Segundo o físico Yanis Bitzakis, "alguém, em algum lugar da Grécia antiga, fez um computador mecânico". 
A partir de 1950, os 82 fragmentos encontrados da "máquina de Antikythera" começaram a ser estudadas  fundo. O mecanismo era composto por 27 rodas de engrenagem. Eles poderiam, segundo esse estudo, calcular os meses lunares e os movimentos da lua ao redor da terra além de eclipses e as datas de quatro festivais da Grécia antiga, incluindo as Olimpíadas. 
Quem teria produzido esse primeiro computador da História? Existe um suspeito…

Japão lança primeiro hotel servido por robôs

Imagem
90% do pessoal que trabalha no hotel Henn-na, próximo a Nagasaki (Japão) é constituído de robôs. O hotel em si é simples e funcional. A diferença está nos funcionários. Na recepção você é recebido por uma atendente de sorriso congelado. Alguns ajudantes possuem a forma de um réptil pré-histórico cheio de dentes.

Parece sinistro. Mas é uma experiência para ser acompanhada. O Henn-na usa robôs para carregar as bagagens e entregar os pedidos de room service. Há um "cybermordomo" em cada quarto para ouvir e providenciar as necessidades dos hóspedes, em japonês e inglês. A porta de cada apartamento se abre por reconhecimento facial.

Para conhecer mais detalhes - e fazer reservas - clique aqui no site oficial do Henn-na.



20 anos de história da tecnologia. Amazon Brasil - http://goo.gl/MzssB8 Amazon.com - https://goo.gl/lvhJzE

Escrevendo um livro no celular

Imagem
Eu já escrevi livros em máquinas de escrever, desktops e notebooks. Agora estou escrevendo meu primeiro livro no celular.

Não é para todo mundo. Você precisa estar adaptado à telinha. Eu estou. Depois que meu iPad ficou velhinho, eu passei a ler praticamente tudo no celular - livros, jornais, revistas. De ler a escrever o passo é menor.

Meu livro está sendo escrito num Google Docs. Não se pode esperar muito de um processador de texto num celular. Então quanto mais simples, melhor. O Microsoft Word exige demais. O Google Docs cumpre a função muito bem no cellphone. (Mas na hora da edição final, o meu livro vai para o Word do desktop, claro).

Outra coisa: este livro específico é uma ficção. Se exigisse pesquisas, referências e links seria difícil de ser resolvido num celular. Como é um livro de pura imaginação, o fluxo de ideias fica bem mais simples. E tem mais uma vantagem: o celular oferece sugestões de palavras, e eu tenho me dado muito bem com elas. Se escrevo "gelad", basta…

Fogo amigo

Imagem
Uma das coisas mais constrangedoras das redes sociais é ver um amigo espalhando o ódio político em nome de um partido ou um líder. Quando vejo uma coisa dessas no Facebook e não conheço tenho intimidade com o autor do post, simplesmente bloqueio. Quando é um amigo, a coisa fica mais complicada.

Felizmente, o Face tem um comando chamado "ocultar essa publicação". Então eu corro para sumir com as bobagens agressivas que esses amigos dizem antes de ler mais de uma frase. Pois se eu ler a segunda provavelmente vou querer expulsar do meu círculo, por mais amigo que seja.

Da minha parte, eu desisti de falar de política nas redes sociais. Posso dar um ou outro palpite mais sério no Twitter, mas no Face eu só escrevo sobre as obras que eu faço, e dou espaço para um ou outro momento de diversão. Mas escrevo com o cérebro, não com o fígado. Se é para xingar quem eu odeio na política, coonfidencio para as minhas paredes. Ninguém é obrigado a aguentar explosões irracionais de fúria e cegu…

BBC visita na China o supercomputador mais poderoso do mundo

Imagem
O repórter Cameron Andersen, da BBC, visitou o computador mais poderoso do mundo. Seu nome é Sunway TaihuLight e fica na cidade de Wuxi, na costa da China. Para um país que só começou a produzir chips em 2001, é uma conquista impressionante.

O Sunway TaihuLight consegue fazer 93 quatrilhões de cálculos por segundo com seus 41.000 chips. Segundo os chineses, ele poderá ser usado para realizar os mais complexos cálculos para questões como o aquecimento global. É um alívio ouvir isso, e tomara que seja verdade.
Para ler mais detalhes sobre o supercomputador chinês (em inglês), e assistir o vídeo da BBC, clique aqui.
20 anos de história da tecnologia. Amazon Brasil - http://goo.gl/MzssB8
Amazon.com - https://goo.gl/lvhJzE

O notebook dobrável da Lenovo

Imagem
A Lenovo, empresa multinacional com sede na China, apresentou num evento em New York seu novo conceito de notebook. A característica mais marcante é que ele se dobra, com o uso de "materiais avançados", ainda não detalhados. Mas esse novo conceito o torna claramente menos frágil e provavelmente mais leve do que um notebook normal.

Segundo o site Olhar Digital, a outra característica desse novo conceito é que ele funciona basicamente por voz. O teclado se tornará uma opção para os usuários mais "tradicionais". Um dado curiosamente é que com todo o avanço tecnológico demonstrado por esse modelo Lenovo, ele tenha ficado mais parecido com um... papel.

20 anos de história da tecnologia. Amazon Brasil - http://goo.gl/MzssB8
Amazon.com - https://goo.gl/lvhJzE

Yahoo! (*1995 +2017)

Imagem
Os mais jovens não podem imaginar o que era navegar a internet antes do Yahoo. Não havia um mecanismo de busca. Para você achar uma página era preciso escrever seu endereço completo.. E, para isso, era preciso ter esse link. Existiam livros (de papel) que serviam como catálogos para que a gente achasse o que queria e digitasse, sem falhas, o endereço, começando pelo "http://"...

O Yahoo!, fundado em 1995, foi o primeiro mecanismo de busca popular da internet. Ele organizava nossa vida na rede através de itens e sub-itens. Era também pioneira na formação de grupos interessados num mesmo assunto. Eu mesmo criei um grupo de homenagem ao grande compositor clássico Franz-Joseph Haydn e vi essa comunidade se alastrar pelo mundo fora do meu controle.

Pois bem. O Yahoo acabou. A antiga gigante da internet foi vendida ao conglomerado Verizon, que também comprou o não menos falecido pioneiro AOL (American On Line). Segundo artigo do New York Times, o Yahoo ficou conhecido como o luga…